Aniversário com picnic

Eu e o David gostamos de comemorar todos os nossos aniversários, todos os meses. Geralmente é uma coisinha mais simples, recadinhos ou um jantarzinho diferente, mas quando dá vamos para alguma lugar fazer um picnic para comemorar e hoje foi um dia desses 🙂

FOTO_01

FOTO_02

FOTO_03

FOTO_04

FOTO_05

FOTO_06

FOTO_07

FOTO_08

FOTO_09

FOTO_10

FOTO_11

FOTO_12

FOTO_13

FOTO_14

FOTO_15

FOTO_16

FOTO_18

FOTO_19

FOTO_20

FOTO_21

Continue Reading

Nosso mapa de Buenos Aires

Já fazia algum tempo que eu queria fazer um mapa ilustrado. No começo eu queria fazer algum desenho sobre os Andes e os lugares que vamos passar na próxima viagem. Mas eu olhava pra folha em branco e nada saía. Não sabia por onde começar.

Então eu li esse post no Maptia e isso clareou minha mente.

Nesse projeto chamado “Hand-Drawn Maps Project: The World As It Isn’t” (Projeto De Mapas Desenhados à Mão: O Mundo Como Ele Não É), o objetivo não é desenhar um mapa perfeitamente correto, com as ruas e prédios exatamente como são, mas sim fazer um mapa da cidade de acordo com o seu ponto de vista sobre ela, os seus sentimentos e todas as lembranças que você tem desse lugar, como cheiros e sons.

Tendo as lembranças como ponto de partida, seria impossível fazer um mapa de um lugar que eu ainda não conheço!

Então decidi começar a fazer mapas dos lugares que a gente já passou e escolhi Buenos Aires para ser meu primeiro desenho. E aí a coisa fluiu. O mapa foi nascendo quase que sozinho, a partir de todas as lembranças que tenho dessa viagem.

Pra quem  também gostar de mapas ilustrados, existe um site chamado They Draw And Travel, com milhares de mapas de vários lugares do mundo, uma verdadeira fonte de inspiração 🙂

Edição
Nosso mapa acabou de sair no blog do Maptia, YAAAY! Vocês podem ver nesse mesmo link aqui.
Thank you Maptia Guys, you’re awesome! 

Continue Reading

Kit Primeiros socorros

Essa semana montamos nosso kit de primeiros socorros. São ítens básicos que todo viajante deveria ter em sua mochila. Talvez algumas dessas coisas nunca vamos usar, mas é melhor prevenir do que remediar, não é?

Os kits podem variar de acordo com cada pessoa, alguns são mais completos, outros são mais reduzidos. O nosso contém:

primeiros-socorros2

1. Uma bolsa pequena
2. Cotonetes
3. Band-aid
4. Apito
5. Clorin (é um purificador de água. Custa aproximadamente R$12,00 e vem 30 pastilhas. Basta colocar 1 pastilha para 1L de água para torná-la potável.)
6. Diamox. Esse é um medicamento para aliviar os sintomas do soroche, ou mal da altitude. Foi recomendado por um médico mochileiro nesse tópico aqui
7. Dois pares de luvas cirúrgicas
8. Sal e açúcar para regular a pressão
9. Plasil. Esse medicamento é o mais indicado para os enjoos causados pelo soroche. Outros medicamentos como o Dramin podem dar sono, baixando a frequência respiratória e piorar a falta de ar.
10. Pinça
11. Gaze
12. Canivete. Se você já assistiu o filme 127 Horas, sabe da importância de ter um bom canivete!
13. Tesoura
14. Papel e caneta para anotar parâmetros
15. Fósforos
16. Esparadrapo
17. Suum. Ele repõe os eletrólitos e vitaminas que vamos perdendo ao longo da caminhada. Também evita câimbras. Saiba mais sobre ele aqui
18. Algodão

Além desses ítens, também vai no nosso kit primeiros socorros medicamentos pessoais, como dorflex, neosaldina, etc. Também falta colocar a manta térmica, que ainda não compramos.

Vale lembrar que antes de usar qualquer medicamento, é importante consultar um médico.

Continue Reading

Reservamos os hostels!

Depois de muito trabalho, muita pesquisa, muitos e-mails trocados, finalmente reservamos os hostels da viagem!

Acha que é fácil planejar viagem? Algumas fases do planejamento podem ser bem estressantes e acho que posso dizer que escolher os 5 hostels que vamos ficar foi uma delas. Vimos tantas opções que uma hora começamos a ficar tontos e não lembrar mais o que tínhamos visto. Então organizamos uma planilha com as informações relevantes e os preços para ajudar a escolher.

Nosso critério de escolha para esses hostels, no geral, foi: pegar o mais barato. Em alguns casos optamos por banheiro privado porque a diferença de preço era muito pequena.

Tinha lugar que queríamos muito ficar, mas o pessoal não respondia e-mail. Tinha lugar que não achamos hostel pelo HI. Tinha cidade em que todos os hostels eram muitos caros – mas em contra partida teve cidade que era tão barato que chegamos a ficar com um pé atrás: será que vão roubar nossos órgãos aqui?

Depois de alguns meses pesquisando, fechamos com os seguintes hostels:

Cuzco – Hostel Mallqui: Desde a primeira troca de e-mails o José, que foi quem nos atendeu, foi muito atencioso. Respondia os e-mails rapidamente, tirou todas as nossas dúvidas e ainda se prontificou a nos buscar no aeroporto. Muitos hostels em Cuzco oferem esse serviço, mas alguns cobram a mais por ele. No Mallqui já esta incluso.
Diária: U$40,00 o quarto duplo com banheiro privado e café da manhã.
Reserva: Pagamos a primeira diária para fazer a reserva.
E-mail: amaruhostal@speedy.com.pe

Copacabana – Hostel La Cupula: Em vários relatos que vimos no Mochileiro, muita gente falou bem desse hostel. Mandei um e-mail e gostei do valor da diária, então não tinha mais o que pesquisar. Seria esse e pronto 🙂
Diária: U$32,00 o quarto duplo com banheiro privado. Não inclui café da manhã.
Reserva: não é preciso fazer pagamento para reservar, mas é necessário confirmar 5 dias antes da chegada para não perder o quarto.
E-mail: bolivia@hotelcupula.com

La Paz – Hostel Copacabana: La Paz é a cidade barata da qual eu falei. Tudo lá é tão barato que chegamos a ficar desconfiados. Depois vimos que esse é o preço mesmo. Já tínhamos decidido fechar com o Hostel Bacoo, porém eles foram muito demorados pra responder o e-mail da reserva e perguntei algumas coisas que estou até hoje esperando resposta. E já tinhamos ouvido falar muito bem do hostel Copacabana, mas não achamos nenhuma foto deles. Decidimos reservar no escuro e chegar lá e ver no que vai dar. Afinal, não vimos nenhuma reclamação dele em nenhum lugar. Mais tarde eu pedi uma foto ao Oscar, que foi quem nos atendeu, e ele tirou algumas fotos dos quartos para nos mostrar. Achei muito atencioso da parte dele e ficamos satisfeitos.
Diária: U$19,42 o quarto duplo com banheiro compartilhado.
Reserva: Não é preciso pagar nada para reservar. Ficamos com um pouco de medo de chegar lá e não ter a reserva, mas vamos ver né haha
E-mail: info@hostalcopacabana.com

San Pedro de Atacama: Não fizemos reservas em nenhum hostel nessa cidade porque estava tudo muito complicado.  Lá todos os lugares são muito, muuuuuuuito caros. Quando achamos um com um preço bacana, o Corvatsch, estávamos decididos a ficar nele. Mas na hora de fazer a reserva, a unica forma de pagamento seria enviar os nossos dados do cartão de crédito para eles passarem lá. Mandar todos os nossos dados do cartão para uma pessoa que a gente nem conhece, de uma cidade que a gente nem conhece, de outro país? Mas não mesmo. Então cansamos de procurar e decidimos que vamos chegar em Atacama e procurar na hora um lugar pra ficar.

Santiago – Hostel Casaltura: Aqui também foi complicado, porque os preços são mais elevados que das outras cidades. Quando estávamos decididos a ficar no hostel La Chimba, tentamos entrar em contato através de e-mail antes para tirar algumas dúvidas, mas não tivemos sucesso. Ninguém respondeu. Mandamos mensagem na página do facebook, outra no perfil do moderador da página deles, e nada. Depois de muito tempo o moderador respondeu, mas quando perguntei outras coisas ele sumiu de novo. Então desistimos. Acabamos fechando com o Casaltura, através do Hostelworld, e deu tudo certo.
Diária: U$37,70 o quarto twin com banheiro compartilhado e café da manhã.
Reserva: através do hostelworld, com 10% de pagamento adiantado.
E-mail: info@casaltura.com

Mais uma etapa resolvida. Agora é chegar lá e ver qual é. Depois contamos como foi 🙂

Continue Reading

Seguro viagem: fazer ou não fazer

Eis a questão. O Seguro Viagem é uma coisa que da dó de gastar. Ele não é barato e provavelmente você nem vá precisar usar ele. Mas…e se precisar?

Estávamos em uma grande dúvida se faríamos ou não. Na nossa última viagem não fizemos e também não precisamos. O que pesou para tomarmos a decisão de fazer um seguro para essa viagem foi:

1. Vamos ficar 25 dias fora
2. Vamos fazer trilha, andar de bike, e vai que numa dessas aventuras alguém (bate na madeira!) torce o pé?
3. Quantos casos de intoxicação alimentar você já ouviu falar de pessoas que foram pra Bolívia? Pois é.

Achamos melhor prevenir do que remediar. Esperamos não usa-lo, mas se precisarmos ele estará lá.

Existem os mais diversos tipos de seguro viagem, alguns incluindo mais coisas, outras menos. Pegamos o mais barato que achamos, um pacote da Tam que saiu por R$176,00 por pessoa.

Ele inclui coisas que nunca vamos usar, como a ” hospedagem do seu pet enquanto você estiver fora”. Acredito que tirando algumas coisas do pacote que você ache desnecessário possa baratear o valor dele, mas não nos atentamos a esse detalhe quando compramos, por isso pegamos o pacote full.

O Seguro Viagem além de assistência médica, inclui também reembolso de farmácia, assistência odontológica, localização de bagagem, compensação por atraso ou cancelamento de voo entre outras coisas.

A quem interessar dar uma olhada nos pacotes, aqui está o site da empresa com quem fechamos através da Tam.

Atenção: normalmente o seguro viagem é comprado em dólar, por isso se a cotação estiver boa, corre e faça o seu! Nós enrolamos pra fazer, o dólar subiu, e nós tivemos que pagar mais caro por isso.

Continue Reading

Vacina contra a febre amarela

Para viajar para fora do Brasil, muitos países pedem a vacinação contra febre amarela, e o Peru e a Bolívia estão entre eles. (Aqui esta a lista com os países que pedem a vacina). Não tem como escapar: sem tomar a vacina você não sai do país. E outra coisa importante é que ela deve ser tomada com 10 dias de antecedência ao seu embarque, porque é o prazo que ela leva para começar a fazer efeito. Então não deixe para última hora!

Onde eu posso tomar a vacina?
Em qualquer posto de saúde. A primeira vez que fomos tentar tomar fomos em um sábado e estava fechado. Descobrimos que aquela unidade não abria aos sábados, mas acho que cada um tem horário diferenciado. Não achei essa informação no site da Prefeitura de Curitiba, então é bom se informar com o posto de saúde da sua cidade.

É preciso que seja a unidade mais próxima da sua casa. Você vai precisar levar CPF, RG e comprovante de residência para fazer um cadastro. É tudo bem rapidinho.

Depois de feito o cadastro, é só esperar pra tomar a vacina, que também não demora e não dói. Eu confesso que tenho muito medo de agulhas e estava adiando o máximo que pude pra ir tomar a vacina. Na hora foi bem rápido e não doeu nada, de verdade. Já a vacina contra Hepatite B que acabei “levando como brinde”, deixou meu braço dolorido por uma semana!

É possível também tomar a vacina em alguns laboratórios particulares. Eu tentei ir no Frischmann Aisengart, porém lá a vacina estava em falta a mais de 4 meses e sem previsão pra chegar!

Como emitir meu Certificado Internacional?
Não basta ir tomar a vacina, para embarcar é preciso apresentar o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). Esse certificado é emitido gratuitamente pela Anvisa. Basta ir até um dos centros de atendimento e apresentar a sua carteirinha de vacinação e RG.

Aqui esta a lista de centros de atendimento da Anvisa.

Aqui em Curitiba existem dois lugares onde o certificado pode ser emitido, porém um deles é um posto privado, onde só pode ser emitido o certificado se você tomou a vacina lá com eles. Se a vacina foi tomada em posto de saúde público, o único lugar em que o certificado pode ser emitido é no centro da Anvisa no aeroporto.

Ainda não sabemos quanto tempo leva e se é possível fazer no dia do embarque, antes do check-in, por isso vamos alguns dias antes por garantia.

Edição em 31/08/2013
Hoje fomos emitir o certificado no aeroporto e foi bem rapidinho, levou no máximo 10 minutos. Precisou só levar a carteirinha de vacinação, RG e CPF. Mesmo assim é bom não deixar pra fazer no dia do embarque, pra evitar imprevistos.

Esse centro de atendimento no aeroporto fica aberto das 8h às 17, de segunda à sexta.

Isenção da vacina
já ouvi histórias de alguns mochileiros que eram alérgicos a vacina e não podiam toma-la. Nesse caso, é emitido o Certificado de Isenção da Vacina. Aqui no próprio site da Anvisa tem todas as orientações sobre como proceder.

A vacina contra febre amarela tem a validade de 10 anos, então agora só em 2023 🙂

Continue Reading

O que foi esse Lollapalooza

A coisa já começa errada se você acha que ta certo pagar quase R$900,00 para ver 3 dias de show. Ok, certo, certo não é né? Mas ai vem aquela história: “Ah, é que essas bandas nunca vem pro Brasil. É nossa única chance de ver elas” ou “Vamos lá, vai ser divertido. Não é o tipo de coisa que se faz todos os dias né?”.

E aí você e mais mil pessoas viram a madrugada no site do festival tentando desesperadamente comprar o seu ticket para os três dias. Afinal, quem compra adiantado com a tal senha que eles mandam pra quem é cadastradado paga mais barato. Ah tá, daí sim vi vantagem.

Comprado seu ingresso, você descobre que tem mais algumas taxas que você tem que pagar, incluindo a taxa de envio para receber os tickets no conforto do seu lar. Tudo bem, ja estamos gastando tanto, o que é mais 100, 200 reais?

E ai você passa 3 meses esperando o carteiro vir bater na sua porta. E nada. E todos os seus amigos começam a receber os ingressos e você começa a ficar preocupado, então entra em contato com o pessoal do evento. E eles apenas dizem para aguardar.

Faltando uma semana para o show, os ingressos ainda não chegaram. Aí vem o pessoal do festival e diz que eles EM VÃO, TENTARAM ENTREGAR TRÊS VEZES OS INGRESSOS NA SUA CASA, SEM SUCESSO. E você sabe que é mentira, porque sua mãe passa o dia todo em casa. E não, eles não vão te devolver aquela taxa de entrega que você já pagou.

Puto da vida, você esta de mãos atadas. O festival começa em menos de uma semana, e não lhe resta mais nada a fazer se não ir mais cedo para o Jockey buscar pessoalmente seus ingressos.

Chegando lá, você é direcionado para a salinha das “pessoas que solicitaram a entrega em casa, mas não receberam”. O que? Vocês tem uma sala especial só pra isso? E chegando lá você entende o porquê: TEM MAIS UMA CAMBADA DE GENTE QUE NÃO RECEBEU OS INGRESSOS. Nossa, tudo isso de gente não tava em casa nas três vezes que o carteiro tentou entregar? Que curioso.

É bem conveniente mesmo os organizadosres do evento não gastarem um centavo pra te dar o ingresso, e de quebra ainda te cobrar uma “taxa de entrega”.

Mas já viajamos até aqui, chegamos em São Paulo, esta um dia lindo, vamos curtir o show! E pagar 8 reais em uma cerveja. De 60.000 pessoas, se metade delas comprar apenas UMA cerveja, já são R$240.000! SÓ! EM! CERVEJA!

Aí você fica indignado, fala mal do evento, e todo esse blá blá blá. E no ano seguinte você ta lá, de novo. Virando madrugada, louco pra conseguir um ingresso.

Eu sinceramente fiquei bem triste com o Lollapalooza esse ano. É claro que eu já esperava que a comida fosse ser cara, que os banheiros fossem ser insuficientes e extremamente sujos. Tudo bem, o show do Hives foi o máximo, dancei loucamente no Two Door Cinema Club, eu me diverti.

É que essa diversão ta saindo mais cara do que ela realmente vale, e eu começo a me sentir uma idiota dando todo esse dinheiro pra essa galera, achando que ta tudo bem. Essa história de não entregarem nossos ingressos foi a gota d’água. Eu perdi totalmente a vontade de continuar indo em festivais.

Posso estar pagando com a língua e comprando ingressos pro Lolla 2014? Não vou dizer que não possa acontecer, afinal é realmente raro algumas bandas virem para o Brasil. E festivais são sempre divertidos. Mas por isso deixo aqui esse registro, para eu me lembrar e para outras pessoas pararem um pouco para pensar até onde vale a pena gastar tanto dinheiro para ver uma banda.

Algumas fotos da parte divertida:

lolla_07

lolla_08

lolla_09

lolla_10

Mas como nem tudo são espinhos, aí vem uma descoberta que me fez ganhar toda a viagem.

Quando chegamos na sexta-feira, fomos direto pra Liberdade comprar manteiga de amendoim (obs. acabamos não comprando porque o preço também estava super inflacionado em relação ao que pagamos ano passado).

Andando por lá passamos em frente a um restaurante que tinha o menu colado na entrada (coisa rara de se ver por essas terras). E paramos pra dar uma olhada, porque afinal, comida oriental é sempre bem vinda.

PRATO DE YAKISSOBA A 19 REAIS, PRA DUAS PESSOAS? É ISSO MESMO QUE EU LI? É isso mesmo meus caros amantes da culinária chinesa, nem o nosso queridinho Lig Lig bate isso.

lolla_05

Não pensamos duas vezes antes de entrar no lugar, que já ganhou pontos comigo logo na entrada: É muito bonito e bem decorado. Eles tem várias opções de yakissoba, para 1 ou 2 pessoas. Pedimos o prato tradicional, que vem cenoura, couve-flor, acelga, frango, carne e vagem. Suco de laranja para acompanhar.

Fomos surpreendidos com um prato bastante generoso, que serviu muito bem nossas barriguinhas famintas. Além do prato ser delicioso, o atendimento deles é excelente, todos foram muito simpáticos.

Gostoso, barato, bonito, com bom atendimento. Isso realmente existe? Existe, se chama Nishi e esta localizado no bairro da Liberdade, em São Paulo. De quebra, ainda eles tem karaokê pra quem arrisca soltar a voz em público.

Eles também servem café e alguns salgados, se você quiser parar só pra fazer um lanche rápido.

Endereço: Av. da Liberdade, nº 98. Fica a poucas quadras da pracinha 🙂

lolla_01

lolla_02

lolla_03

lolla_04

 

Continue Reading

Passagem Aérea: o calcanhar de Aquiles da viagem

Hoje compramos as passagens da nossa próxima viagem e vou contar aqui como economizamos R$1.500,00!

Qualquer um que ja tenha comprado passagens aéreas por conta sabe como isso é uma tarefa bem chata!

Passagens aéreas são seres mutantes, que estão em constante mudança. Uma hora ela esta lá e no segundo seguinte o preço já dobrou!

Uma coisa que complicou nossa vida foi fazer a ida para Cuzco e a volta por Santiago. Quando você compra ida e volta para a mesma cidade sai bem mais barato. Quando são cidades diferentes o preço vai lá em cima! O porquê disso? Não sabemos. É malandragem de companhia aérea querendo ganhar dinheiro adoidado as custas de nossas aventuras.

Nossa viagem estava planejada para 01 de agosto, mas o valor da passagem era inviável, mesmo na baixa temporada. Quando pesquisamos pela primeira vez, quase desistimos da viagem. Estava saindo por R$2.733,00 (!!!)

Mas respiramos fundo e continuamos procurando.

Começamos a pesquisar no site do E-Destinos alguns dias antes, alguns dias depois, e achamos um valor legal para 12 de agosto. Ia sair por R$1.118,00 pela Tam. O valor estava legal, então fomos direto na loja da Tam comprar.

Chegando lá, a moça que nos atendeu disse que não seria possível comprar uma só passagem para de ir Curitiba a Cuzco e que teríamos que comprar uma passagem para Lima e depois outra passagem de Lima a Cuzco. Ok, e quanto vai sair essa brincadeira? R$1.719,00 ela nos disse. E de quebra ainda tentou empurrar uma hospedagem em Lima pra nós.

Argumentamos que ja tinhamos visto o vôo bem mais barato no site, mas ela insistiu que não existia. Fomos embora sem as nossas passagens.

Então fomos em uma agência de viagens pra ver se eles conseguiam bater o preço da E-Destinos. Na primeira agência que fomos estava saindo por R$2.480,00.

Mas na segunda agência, eles conseguiram bater o preço. Fechamos Curitiba/Cuzco e Santiago/Curitiba por R$1.200,00 por pessoa, com taxas inclusas, parcelado em 5 vezes. YAY!

E o que aprendemos com a lição de hoje?
1. SIM! É possível ir de Curitiba a Cuzco pagando apenas uma passagem, fazendo conexão em São Paulo e Lima.
2. Mudar a data da viagem pode alterar drasticamente o valor.
3. Não acreditar em tudo o que os vendedores das companhias dizem.
4. Pesquisar, pesquisar, pesquisar! Esse é o segredo para pagar mais barato.
5. Mesmo em agências, os valores mudam muito de uma pra outra.

Imagem Capa: Divulgação

Continue Reading

Trilha Inca: Como escolhemos a empresa

Fechamos a Trilha Inca! Passamos os últimos dias fazendo cotações com as empresas e posso afimar que esse foi o período mais tenso de toda a organização da viagem!

Para quem não sabe, é permitida a entrada de apenas 500 pessoas por dia em Machu Picchu. O que isso significa na prática? Que se você quiser conhecer o paraíso perdido dos incas, vai ter que garantir sua vaga com antecedência!

Por isso começamos a planejar tudo 4 meses antes, achando que tínhamos ainda uma boa folga. Doce ilusão.

Foi quando recebemos os e-mails das empresas que o Espírito Do Desespero bateu à nossa porta: pedimos reserva para o dia 2 de agosto, mas só havia disponibilidade a partir do dia 15. E ja estavam se esgotando! Tínhamos que correr contra o tempo e replanejar toda a nossa viagem para essa data!

Então escolhemos fechar com a Marisol, tão famosa no Mochileiros. Seu preço era o mais baixo e esse foi nosso critério de escolha. O problema é que a comunicação com eles foi muito difícil. Perguntávamos uma coisa e eles não respondiam, demoravam pra responder e-mail, e enquanto isso os dias rolando e as vagas para o dia 15 acabando!

Tivemos que tomar uma decisão: abandonar a Marisol e mandar e-mail para todas as outras empresas pedindo reserva: quem responder primeiro, a gente fecha.

E quem respondeu foi a NC Travel, uma das mais caras, mas nós já não tínhamos mais tempo.

Quem nos atendeu na NC foi o Nicolas, que foi super atencioso. Os e-mails foram respondidos rapidamente, quando houve problema ele nos ligou lá do Peru, para podermos resolver rápido e não perder a vaga, o que mostrou a preocupação dele com a gente. Ficamos muito satisfeitos!

Acabamos fechando para o dia 16, porque no dia 15 realmente ja tinha acabado.

Resolvido isso, agora vem mais uma complicação: como fazer o pagamento para uma conta fora do Brasil? 

Para reservar a Trilha Inca é preciso depositar 50% para garantir sua vaga. O único banco que faz isso é o Banco do Brasil, através do Western Union. Mas para isso, você precisa ser cliente deles.

Se você não for cliente BB, a única forma é através de casas de câmbio, e todo o processo leva mais ou menos uma semana. E isso é um tempo que você não tem quando esta desesperado pela sua vaga no Machu Picchu.

Edição em 18/07/2013
Tivemos que fazer um outro depósito através de Western Union para a reserva de um hostel e o pessoal do cambio disse que o dinheiro cai na hora. Então fica a dúvida, se esse tempo pode variar de acordo com a casa de cambio.

Por isso a urgência de começar a planejar com antecedência. Por sorte a NC Travel aceita Paypal, e só por isso conseguimos reservar a nossa data porque o dinheiro caí na hora.

Valores das Agências em 2013:
Brasil de Mochila: USD 435.00 / desconto para estudante ISIC
Marisol (Amazing Adventure Peru): USD 390.00 / USD 360.00 para ISIC
Nantika: USD 385.00
Puma’s Trek: USD 390.00 / USD 370.00 para ISIC
NC Travel: USD 420.00 / USD 390.00 para ISIC

O que é ISIC? 

Continue Reading

Carteirinha de estudante isic

A carterinha de estudante ISIC é uma carterinha de estudante internacional. Muito lugares fora do Brasil oferecem desconto para quem tem essa carterinha, inclusive na Trilha Inca. Para fazer, só precisa ser estudante de cursos regulares reconhecidos pelo MEC. Para se cadastrar é bem fácil.

Carterinha ISIC, modo de fazer:
1. Entre no site www.carteiradoestudante.com.br
2. Lá você preenche um formulário com seus dados
3. Envie uma foto 3×4, comprovante de que é estudante, RG e CPF
4. pague o boleto no valor de R$40,00

Com tudo aprovado, a carterinha vai chegar pra você em até 20 dias úteis. Sim, demora! Por isso não deixe pra fazer de última hora. Na Trilha Inca por exemplo, eles pedem que você envie um scan da carterinha para poder pagar valor de estudante. Se você já pediu, mas ainda não chegou, perdeu.

Essa carteirinha também pode ser habilitada pra ser usada como cartão de débito pré-pago com a bandeira Mastercard e cartão telefônico, tudo internacional.

No site deles tem todas as informações completas de como solicitar a sua ISIC. Lá também é possivel fazer a carterinha HI.

Continue Reading