Uma história que merece ser contada

Hoje comemoramos 3 anos das aulas gratuitas de yoga no parque! Mas antes de contar sobre o que aconteceu hoje, preciso fazer uma breve retrospectiva. Vou contar pra vocês uma história sobre sonhos!

Em 2014 eu estava largando um emprego como designer de interiores para me dedicar a uma formação em yoga. A decisão de estudar yoga foi repentina, como tudo na minha vida. Comecei a pensar sobre o assunto em dezembro e em março eu já estava começando o curso. Entre tantas opções de lugares, escolhi fazer minha formação com o Yoga No Parque, o maior projeto de aulas gratuitas do Brasil.

O curso todo foi incrível, mas uma aula em especial foi marcante para mim. No módulo de gestão da profissão fizemos uma atividade de desenhar o nosso sonho em um papel. Quem já participou dos nossos workshops e palestras já ouviu falar muito desse exercício. Pois bem, agora vocês já sabem de onde a ideia surgiu!

Com papel e giz de cera na mão, vi meus colegas desenhando que sonhavam em dar aula de yoga no parque. É  claro que eu também queria dar aula, afinal era por isso que eu estava fazendo o curso de yoga. Mas eu não conseguia me ver dando aula no parque porque na época eu estava louca para morar na praia (e na minha pequenina cabeça da época, parque e praia eram coisas que não podiam coexistir – lição que a Austrália me provou o contrário logo que cheguei, mas vou chegar nesse ponto mais adiante.)

Então me desenhei dando aulas de yoga na praia. Na areia mesmo. Mal sabia eu naquela época que praticar yoga na areia (na minha opinião) é mais bonito na foto do Instagram do que na prática. A expectativa é você lá relaxada, meditando, curtindo o som do mar se sentindo a sereia do yoga. A realidade é sol rachando na sua cabeça, areia grudando no seu suor e cachorro olhando pra baixo sambando pra ficar estável na areia fofa. Resumo do caos. Como vocês podem ver, não sou uma grande fã de yoga na areia. Mas fiz meu inocente desenho com base na minha expectativa:

Cheguei em casa e grudei ele na geladeira, toda orgulhosa, que nem criança faz. E ali ele ficou pelos próximos 6 meses, quando embarcamos num avião com destino à Austrália.

Desembarquei em Gold Coast com um certificado de yoga em baixo do braço e uma mala cheia de sonhos e esperanças. Meus professores do curso de formação me incentivaram a trazer o projeto de aulas gratuitas para a terra dos cangurus, mas eu mal tinha experiência como professora de yoga, imagine fazer isso em inglês? Tive medo. Tive muito medo. Quem me vê hoje dando essas aulas não imagina que enquanto a galerinha do curso de inglês tava indo festar a vida na Austrália, eu passava horas em casa estudando como dizer joelho, cotovelo e tornozelo em inglês. Mas valeu a pena. Depois de um tempo eu parei de dizer tools (ferramentas) ao invés de toes (dedos dos pés) hehe.

E então finalmente tomei coragem para começar a dar aulas. Não demorou muito para eu descobrir que sim, era possível dar aula no parque E na praia ao mesmo tempo! Gold Coast tem uma faixa de parque por quase toda a costa e boa parte tem vista para o mar. Era isso o que eu queria afinal. Escolhi um parque, marquei a data, fui lá e fiz. No dia 30 de Maio de 2015 eu dei aula para 13 pessoas. Treze, um número que muitas pessoas consideram de azar, para mim só trouxe sorte.

Pra encurtar a história, a partir daí as aulas foram se moldando, se adaptando, mudamos de parque, de dia, de horário, viramos itinerantes, voltamos para um ponto fixo, tivemos break, voltamos e chegamos onde estamos hoje: comemorando 3 anos do projeto na Austrália!

Como eu adoro comemorações, hoje não foi diferente. Marquei uma aula especial para celebrar, mas para ser bem sincera eu não sabia o que esperar. Fui para o parque sem muitas expectativas. Mas a coisa já começou diferente. 5 minutos antes da aula começar já tinham 10 pessoas sentadas em seus yoga mats prontas pra começar a aula (vocês podem achar que isso seria uma coisa normal, mas o pessoal aqui leva o brazilian time realmente a sério e sempre chegam em cima do laço, para a aflição do meu coraçãozinho de professora que sempre acha que não vai vir ninguém).

Então quando vi aquelas 10 pessoas ali sentadas sabia que a aula ia rolar diferente. E foi mesmo. Foi chegando cada vez mais gente, e mais gente e mais gente. E não parava de chegar gente até chegarmos em nosso numero record de alunos na Austrália: mais de 40 pessoas! Foi uma das aulas mais incríveis e mais cheias de energia que eu já dei! Que baita presente para a comemoração dos nossos 3 anos <3

Dar aulas de yoga é algo que faço com muito amor e toda vez que termino uma aula, eu digo o meu Namaste com a sensação de dever cumprido e o sentimento mais gratificante do mundo. Hoje essa sensação foi 10 vezes maior sabendo que o meu trabalho fez com que mais de 40 pessoas saíssem de lá mais leves e com um sorriso no rosto. Ver todos esses sorrisos é a maior motivação e a maior afirmação de que estou seguindo no caminho certo. Termino o meu dia hoje com o sentimento de gratidão!

Por isso meus queridos, não canso de bater na tecla de que vocês devem acreditar nos seus sonhos! Meu sonho começou como um desenho em giz de cera em um papel e atravessou o oceano para se tornar realidade do outro lado do mundo. Foi por acreditar em sonhos que hoje eu posso trabalhar com o que amo e é por isso que eu digo que não existe sonho tão grande que não possa ser realizado. Alguns vão dizer que você é louco, vão dizer que é “impossível”, mas se você seguir firme com o que vem do seu coração o universo vai trazer para o seu caminho as pessoas certas que vão te apoiar. Mas a primeira pessoa que precisa assinar o contrato com o sonho é você mesmo!

Continue Reading

A influência das fases da lua na prática de yoga

contraluz de yoga com a lua cheia

A forma como a lua influência a vida das pessoas é um assunto que tem chamado cada vez mais a minha atenção. Depois que eu comecei a estudar sobre as características de cada fase da lua, eu comecei a observar como a forma que eu me sinto em determinadas semanas faz muito sentido com a fase da lua que estamos.

A forma como estamos nos sentindo também reflete na nossa prática de yoga. Às vezes você acorda cheio de energia querendo uma prática mais intensa e às vezes tudo o que você quer é se aquietar, não se mexer muito e ter uma prática mais meditativa.

Já aconteceu de eu ir numa aula de ashtanga yoga por exemplo e senti que definitivamente não conseguia acompanhar a aula, ou outras vezes que fui em uma aula de yin yoga e me senti muito agitada e cheguei a ficar entediada porque tudo o que eu queria fazer era me mexer e usar a minha energia! Em ambos os casos eu me cobrei demais, me perguntando porque eu não conseguia simplesmente deixar fluir durante a aula.

É claro que isso também esta relacionado a uma série de outros fatores, situações que acontecem na nossa vida e até o estilo de yoga ideal para cada dosha, mas isso é assunto para outro post. Hoje quero trazer pra vocês uma pincelada da influência da energia lunar em nossa prática. Mas antes de começar, vamos dar uma olhada nas fases da lua:

Tecnicamente existem 8 fases da lua, mas vamos focar nas 4 principais fases: lua nova, lua crescente, lua cheia e lua minguante.

Lua nova

Relação com as estações do ano:
Inverno.

Características da lua nova:
É uma fase mais introspectiva e de recolhimento, onde nossa energia esta mais baixa. Nós temos uma tendência a querer dormir mais (eu mesma me sinto muito mais sonolenta nesses dias, com mais preguiça de sair da cama) e não temos muita vontade de sair de casa. Nós podemos nos sentir mais emocionais e nosso humor pode estar um pouco mais instável.

O que fazer durante a lua nova:
Aceite que essa é uma fase mais introspectiva, não se cobre demais, não tente ser mega produtivo e não fale muito. Ouça a sua voz interior, honre o seu corpo, crie momentos de relaxamento, durma bastante e o mais importante: não queira começar coisas novas. Esse é o momento para colocar intenções para o futuro, não para criar. Pense no que você deseja fazer nas próximas semanas e quais são as coisas que você quer fazer quando a sua fase produtiva chegar. Mesmo que você não tenha um diário, esse é um ótimo momento para escrever sobre como você esta se sentindo e sobre seus sonhos, pois dessa escrita podem sair ideias para o futuro. Tire dois ou três dias, um antes do pico da lua nova e outro no dia da lua nova, para fazer absolutamente NADA! Se possível não marque reuniões para esse dia ou eventos onde você tenha que fazer social ou falar com muitas pessoas.

A prática de yoga na lua nova:
Essa fase pede uma prática mais introspectiva e mais lenta, por isso é bacana fazer aulas de yin yoga, yoga restaurativa e meditação. Nessa fase essas práticas vão ser mais poderosas para trazer inspiração e insights.

Lua Crescente

Relação com as estações do ano:
Primavera

Características da lua crescente:
Aqui a nossa energia começa a subir novamente, é como se fosse o nosso renascimento. Nós começamos a nos sentir mais otimistas, criativos e produtivos. Essa é a lua da inovação e da ação! Esse é o momento de começar a plantar as sementes que você planejou durante a lua nova.

O que fazer durante a lua crescente:
Aproveite a sua produtividade para colocar em prática tudo o que precisa ser começado. Um novo projeto, uma nova ideia, esse é o momento de pegar a sua agenda e anotar metas para todos os dias da sua semana e ter certeza de que essas metas serão cumpridas! Se você esta pensando em começar um novo programa fitness, um novo curso ou até um novo hábito, a hora é agora!

A prática de yoga na lua crescente:
Com a nossa energia subindo novamente, esse é o momento de voltar aos poucos para práticas mais ativas, como vinyasa yogaashtanga yoga e power yoga.

Lua cheia

Relação com as estações do ano:
Verão

Características da lua cheia:
Na lua cheia a nossa energia esta no ápice! Esse é o nosso auge e nós geralmente vamos estar nos sentindo cheios de energia, nos sentindo ótimos com nós mesmos, alegres, cheios de carisma, a felicidade esta em alta e estamos nos sentindo mais sexy também. A lua cheia traz uma energia de celebrar e socializar.

O que fazer durante a lua cheia:
Comemore! A lua cheia é a colheita e traz uma energia de celebrar e socializar, então olhe para trás e veja quantas metas você conquistou, tudo o que você colheu nos últimos dias ou nas últimas semanas e comemore! Saia de casa, saia com seus amigos, saia para conhecer pessoas novas, aproveite essa energia super elevada! É bacana também sair à noite para simplesmente admirar a lua cheia e receber diretamente a energia da luz transmitida por ela.

A prática de yoga na lua cheia:
Com a nossa energia no auge, ainda seguimos com práticas que requerem um pouco mais do nosso corpo como vinyasa yogaashtanga yoga e power yoga. Como a lua cheia também é uma lua de sensualidade, uma ótima opção é fazer uma aula de yoga dance.

Lua minguante

Relação com as estações do ano:
Outono

Características da lua minguante:
Depois de chegar no auge da nossa energia, é hora de completar o ciclo e começar a diminuir o ritmo. Com a diminuição de energia logo após o pico, a lua minguante pode trazer muitos momentos de frustrações, onde você vai querer jogar tudo pro alto. É um momento onde nós sentimos tudo muito intensamente e por isso estamos mais inclinados a ficar irritados e a arranjar briguinhas. É importante permitir-se sentir isso, saber que esse é o seu momento e não querer fingir um papel que você não é só para agradar os outros. Se alguma área da sua vida precisa de mudanças, a hora de mudar é agora. Fale. Se expresse. Não guarde coisas só para manter a “sua imagem”.

O que fazer durante a lua minguante:
Essa é a hora de ajeitar a sua vida para que um novo ciclo comece. Termine coisas que você andou enrolando até agora pra fazer, faça limpezas, limpe sua casa, limpe seu armário, a hora agora é de se desfazer de coisas que não cabem mais na sua vida, sejam materiais ou emocionais.

A prática de yoga na lua minguante:
Com essa fase de limpeza, foque em práticas que tenham muitos pranayamas, que são os exercícios respiratórios, além de bandhas e kriyas. Isso vai te ajudar a passar por esse momento de transição que pode parecer um pouco turbulento, mas que faz parte do ciclo. No nosso canal do youtube tem uma playlist inteira ensinando vários pranayamas.

menina fazendo yoga na grama

A importância de respeitar todas as fases da lua

Quero ressaltar a importância de respeitar cada uma dessas fases, pois todas elas estão conectadas e uma depende da outra. Por exemplo, se você deixar suas tarefas se acumularem na lua minguante e não terminar as coisas que você começou na lua crescente, permitindo-se concluir o ciclo, quando chegar na lua nova você vai estar tão atarefado que não vai conseguir fazer a pausa necessária. E se você não honrar o seu corpo na lua nova, permitindo que ele descanse e restaure, quando chegar a lua crescente pode ser que você não esteja tão criativo e produtivo quanto estaria se tivesse tido essa pausa. Tudo esta conectado 🙂

Os dias de lua, ou moon days, do ashtanga yoga

Ainda tem um outro detalhe sobre a prática de yoga e a lua que é muito levado a sério por praticantes de ashtanga yoga. Apesar de eu não praticar ashtanga, eu gosto de seguir esse ensinamento porque pra mim faz todo o sentido. É o que chamamos de dias de lua, ou moon days. Os moon days são as 24 horas que antecedem o pico da lua nova e o pico da lua cheia.

Toda a natureza é também influenciada pelas fases da lua, e podemos ver isso nitidamente nas marés por exemplo. O nosso corpo é composto por mais de 70% de água e por isso é afetado por essa influência também. Na lua nova as nossas articulações estão mais “secas”, mais rígidas e na lua cheia é ao contrário, elas estão mais lubrificadas. Ambos os casos deixam o nosso corpo mais propício a se machucar e é por isso que evitamos a pratica de asanas, ou posturas, nos dias de lua.

Caso queira ver uma explicação super bacana de como funciona essa influência da lua, o Vinícius do Longevidade.yoga fez um vídeo bem legal falando sobre o assunto:

Eu sinto os moon days claramente no meu corpo. Sempre que é um dia de lua eu sinto meus joelhos mais sensíveis, às vezes até doloridos, e por isso eu não faço a minha prática pessoal nesses dias. Porém, dando aula em vários lugares diferentes eu nem sempre posso escolher não dar aula. Por isso nesses dias eu dou uma prática muito mais leve, tentando diminuir ao máximo o risco dos alunos se machucarem e sempre relembro da importância de redobrar os cuidados nesses dias.

E como saber quando são os moon days e todas as fases da lua? Eu uso um app para acompanhar as fases da lua muito bom chamado The Moon. Nele você pode ir em configurações, colocar o fuso horário da cidade que você esta e ter exatamente os horários de pico de lua cheia e lua nova, além de acompanhar as mudanças de fase no calendário 🙂

E pra finalizar esse post eu quero te convidar a observar como você esta se sentindo e começar a perceber essa relação com as fases da lua. Quando eu comecei a fazer essa ligação eu iniciei um processo de autoconhecimento que foi muito lindo e isso me permitiu “prever” um pouco do meu futuro, sabendo como eu estaria me sentindo nas semanas seguintes. Isso me ajudou muito na organização das minhas tarefas, na minha produtividade e também em saber quando era a hora de ouvir o meu corpo e descansar.

Se você já notou a influência da lua no seu dia-a-dia deixa aqui nos comentários e vamos conversar 🙂

Continue Reading

O que são chakras e a relação deles com o yoga

O que são os chakras? Em sânscrito a palavra chakra significa “roda”. Assim como nós temos o nosso corpo físico com órgãos, ossos, músculos, etc, nós também temos o nosso corpo sutil que também tem vários elementos, um deles são os chakras. Os chakras são centros de energia que representam aspectos do nosso corpo físico, mental e emocional.

Onde estão localizados

Nosso corpo possui muitos chakras, mas são 7 os principais e eles estão localizados na região da nossa coluna vertebral:

o que sao chakras
Localização dos chakras

Como os chakras funcionam

O ideal é que a gente consiga manter os nossos chakras em equilíbrio. Porém, algumas situações da nossa vida, alimentação, pensamentos e outros fatores podem deixar os chakras em desarmonia. Cada chakra tem uma cor diferente e possui uma função. Entender as características de cada chakra nos ajuda em um processo de autoconhecimento e por consequência, nos ajuda a saber qual área da nossa vida precisa de mais atenção.

Conhecendo cada chakra

Muladhara Chakra (Chakra Raiz ou Base)
Mantra: Lam
Afirmação: Eu sou
Localização: Base da coluna
Cor: Vermelho
Elemento: Terra
Glândula: supra-renais
Funções: Traz vitalidade para o corpo físico
Cristais: rubi, calcita vermelha, jaspe vermelho, quartzo vermelho, granda, hematita, turmalina negra
Óleos essenciais: Patchouli, Mirra, Cedro,
Qualidades Positivas: Coragem, estabilidade, individualidade, paciência, saúde, sucesso e segurança
Qualidades Negativas: Insegurança, raiva, tensão e violência
Alguns exemplos de asanas para Muladhara Chakra:

 

 

 

 

 

Swadhisthana Chakra (Chakra do sacro)
Mantra: Vam
Afirmação: Eu sinto
Localização: Abaixo do umbigo
Cor: Laranja
Elemento: Água
Glândula: gônadas (testículos e ovários)
Funções: Força e vitalidade física
Cristais: cornalina, calcita laranja, opala de fogo
Óleos essenciais: Ylang-ylang , Gerânio, Rosa, Jasmim, Sândalo, Néroli
Qualidades Positivas: Assimilação de novas ideias, dar e receber, desejo, emoções, mudanças, prazer, saúde e tolerância
Qualidades Negativas:
Confusão, ciúme, impotência, problemas da bexiga e problemas sexuais
Alguns exemplos de asanas para Swadhisthana Chakra:

 

 

 

 

 

muladhara chakra

Manipura Chakra (Chakra do umbigo ou plexo solar)
Mantra: Ram
Afirmação: Eu faço
Localização: entre o umbigo e o coração
Cor: Amarelo
Elemento: Fogo
Glândula: pâncreas
Funções: Digestão, emoções e metabolismo
Cristais: Âmbar, olho de tigre, ouro, citrino, calcita amarela
Óleos essenciais: Erva doce, Camomila Romana, Hortelãs, Laranja, Bergamota, Olíbano
Qualidades Positivas: Auto controle, autoridade, energia, humor, imortalidade, poder pessoal e transformação
Qualidades Negativas: Medo, ódio, problemas digestivos e raiva
Alguns exemplos de asanas para Manipura Chakra:

 

 

 

 

 

Anahata Chakra (Chakra do coração)
Mantra: Yam
Afirmação: Eu amo
Localização: Coração
Cor: Verde (cura e energia vital), rosa (amor)
Elemento: Ar
Glândula: Timo
Funções: Energiza o sangue e o corpo físico
Cristais: quartzo rosa, jade, malaquita, quartzo verde, turmalina verde, calcita rosa, turmalina rosa, esmeralda
Óleos essenciais: Rosa, Melissa, Manjerona, Palmarosa, Gerânio
Qualidades Positivas: Amor incondicional, compaixão, equilíbrio, harmonia e paz
Qualidades Negativas: Desequilíbrio, instabilidade emocional, problemas de coração e circulação
Alguns exemplos de asanas para Anahata Chakra:

 

 

 

 

 

Vishuddha Chakra (Chakra da garganta)
Mantra:
Ham
Afirmação: Eu falo
Localização: Garganta
Cor: Azul claro
Elemento: Éter
Glândula: Tireóide
Funções: Som, vibração, comunicação
Cristais: Topázio azul, turquesa, calcita azul, quartzo azul, angelita, água marinha
Óleos essenciais: Hortelã-pimenta, Eucalipto, Erva doce, Limão, Camomila
Qualidades Positivas: Comunicação, criatividade, conhecimento, honestidade, integração, lealdade e paz
Qualidades Negativas: Depressão, ignorância e problemas na comunicação
Alguns exemplos de asanas para Vishuddha Chakra:

 

 

 

 

 

Ajña Chakra (Chakra do terceiro olho)
Mantra: Om
Afirmação: Eu vejo
Localização: Na testa, entre as sobrancelhas
Cor: Azul índigo
Elemento: Todos os elementos
Glândula: hipósife
Funções: Revitaliza sistema nervoso e a visão
Cristais: Sodalita, safira azul, lápis lazuli, turmalina azul, pedra da lua
Óleos essenciais: Sálvia Esclaréia, Alecrim, Junípero, Cipreste e Lavanda
Qualidades Positivas: Concentração, devoção, intuição, imaginação, realização da alma e sabedoria
Qualidades Negativas: Dores de cabeça, medo, problema nos olhos, pesadelos e tensão
Alguns exemplos de asanas para Ajña Chakra:

 

 

 

 

 

 

Sahasrara padma (Chakra Coroa)
Mantra: Om
Afirmação: Eu compreendo
Localização: No topo da cabeça, bem no centro
Cor: Violeta e Branco
Elemento: Todos os elementos
Glândula: pineal
Funções: Revitaliza o cérebro
Cristais: Ametista, diamante, safira violeta, pirita, calcita dourada,
Óleos essenciais: Olíbano, Sândalo, Lavanda, Elemi, Mirra, Benjoim
Qualidades Positivas: Percepção além do tempo e do espaço. Abre a consciência para o infinito
Qualidades Negativas: Alienação, confusão, depressão e falta de inspiração
Alguns exemplos de asanas para Sahasrara Chakra:

 

 

 

 

 

Como equilibrar os chakras

Existem muitas formas de equilibrar os chakras que estão em desarmonia. Ter uma vida balanceada e uma alimentação saudável é essencial para manter os chakras em harmonia. Quando um chakra esta em desequilíbrio é possível equilibrá-lo novamente com terapias como reiki, cromoterapia, aromaterapia ou terapia com cristais.

Como a prática de yoga pode me ajudar a equilibrar os chakras?

A prática regular de yoga também é uma ótima forma de manter os chakras equilibrados, pois durante a aula estamos trabalhando com posturas que fazem com que a nossa energia, o nosso prana, flua em todas as direções do nosso corpo. Uma prática completa e balanceada de yoga trabalha com todos os chakras. Além disso também é possível ter uma aula de yoga com foco em cada chakra. Dessa forma ainda estamos trabalhando com todos eles, mas dando uma atenção especial para um chakra específico 🙂

Se você quiser saber mais sobre os chakras ou tiver alguma dúvida, é só deixar nos comentários abaixo!

Imagem da capa: fonte desconhecida

Continue Reading

A primeira aula de yoga do Namaste108

Hoje foi um dia especial. Depois de muito planejamento, nosso projeto esta finalmente começando a acontecer e um dos pontos importantes era dar a primeira aula de yoga. Passamos a semana inteira nos preparando: pedimos nosso banner e cartões, escolhemos um dia, local e horário e começamos a divulgar.

Mas parece que faltou um pequeno detalhe do nosso planejamento. Quando estava tudo pronto, fomos para o parque onde iríamos dar a aula. Chegamos lá 1 hora antes para ter bastante tempo para ajustar as câmeras, colocar o banner, etc. Mas chegando lá, eis que vejo  mais ou menos 100 pessoas praticando yoga! No mesmo lugar que eu ia dar a minha aula! Sim, nem passou pela minha cabeça dar uma olhadinha pra ver se já não tinha mais ninguém dando aula naquele espaço, no mesmo dia que eu hahaha.

O que eu conto agora dando risada, na hora me deu um pouco de desespero. A aula do outro professor iria acabar às 9am, exatamente quando a minha aula iria começar! Bom, começamos a arrumar as coisas no mesmo parque, mas um pouco mais para o lado. Abri meu tapetinho, penduramos o banner, arrumamos as cameras e esperamos. E esperamos. Deu 9am e nenhum aluno tinha aparecido ainda!

Eu já tava querendo cancelar a aula, ir embora, fingir que nada aconteceu, cancelar o projeto, deletar nosso site e voltar pro Brasil HAHAHA Mas ai comecei a receber mensagens de alguns alunos perguntando onde eu estava e vi que a galera estava totalmente perdida por causa da outra aula que ainda estava no finzinho. Teve até uma das meninas que me falou que chegou a sentar lá na outra aula achando que era a minha!

No fim começamos a aula com 15 minutinhos de atraso por conta dessa confusão toda, mas mesmo assim tive 14 alunos nessa primeira aula. Isso que eu ainda acho que algumas pessoas devem ter achado que a aula era a outra e acabou não aparecendo para a minha hahaha paciência, isso é pra eu aprender a organizar melhor esse detalhe da próxima vez.

Enfim, a aula foi muito linda e eu fiquei super feliz! Depois de longas merecidas férias e quase 3 meses sem dar aula eu achei que eu fosse ficar um pouco insegura, mas nada! No momento em que eu comecei foi como se eu nunca tivesse parado de dar aula e tudo fluiu lindamente.

Vieram alunos antigos, vieram alunos novos, vieram pessoas que estavam passando por alí e viram o banner… Foi bem bacana e algumas pessoas até pediram para fazermos mais uma aula aqui em Gold Coast, mas ainda não sabemos se vai rolar… Eu queria programar uma aula para Brisbane e Byron Bay na semana que vem, mas ainda estou tendo um pouco de dificuldades de divulgação em cidades que eu não conheço e ainda não sei como isso vai acontecer… Quando tivermos mais informações vamos postar aqui e na página do Facebook também!

 

Continue Reading

Vamos conversar sobre bandhas?

Se você já pratica yoga a mais tempo, você ja deve ter ouvido falar sobre bandhas (às vezes escrito também “bhandas”). Se você ainda não ouviu falar, no começo pode parecer meio estranho, mas calma! Continua comigo que eu vou te explicar direitinho o que é, como fazer e para que servem 🙂

O que são bandhas?

Bandha é uma palavra em sânscrito que pode ser traduzida para trava. Essas travas são feitas em forma de contrações em determinadas partes do corpo e servem para regular o fluxo de prana, ou energia vital, que percorre o nosso corpo.

Por que os bandhas são tão importantes?

Os bandhas tem um papel muito importante na nossa prática de yoga, tanto no corpo físico quanto no corpo sutil. Em um nível físico, fazer o bandha pode oferecer mais apoio à construção das posturas e também entre uma postura e outra. Eles também ajudam a regular o nosso sistema digestivo, hormonal, sexual e metabólico.

Em um nível mais sutil, os bandhas ajudam a direcionar o fluxo de energia no nosso corpo.  Uma maneira bem simples de entender isso é imaginar que existem duas linhas de energia passando por você: Prana, a energia fluindo para dentro, e Apana, a energia fluindo para fora.

Através da prática de asana (posturas), meditação e pranayama (respiração), você aprende a direcionar o fluxo dessa energia em várias direções e para diferentes propósitos. Os bandhas servem para você poder tirar o máximo de proveito dessa energia.

Um bom relacionamento com os seus bandhas vai ajudar a mantê-lo mais equilibrado e conectado com a sua prática.

E você achava que yoga era só uma aulinha de alongamento né?

Principais bandhas e como fazê-los:

Existem vários tipos de bandhas e aqui vou tentar explicar da forma mais simplificada possível como fazer cada um deles.

Jiva bandha
É a contração da língua contra o palato mole, perto da garganta. É como se a língua fizesse uma pressão contra a parte de trás do céu da boca. Na ilustração da pra entender melhor como funciona:

Jalandhara bandha
É a contração da garganta, trazendo o queixo para baixo em direção ao peito. Esse bandha geralmente é feito junto com algum pranayama (exercício respiratório). Ele é muito poderoso e ajuda a regular o sistema circulatório e respiratório. A pressão na garganta também ajuda a equilibrar o metabolismo e a tireoide.

Uddiyana bandha
É a contração do abdômen. É como se você quisesse puxar o seu abdômen para dentro e para cima. Esse bandha é conhecido como o “bandha voador”, ou o bandha da leveza. Isso porque esse bandha ajuda em posturas de equilíbrio sobre os braços, invertidas e também aqueles pulinhos que damos para frente e para trás durante a saudação ao sol. Por estar relacionado ao elemento ar, digamos que ele vai te ajudar a “flutuar” melhor durante a prática.

Uddiyana bandha massageia os órgãos internos, ajuda a energia fluir para cima, é ótimo para prisão de ventre e indigestão e também aumenta o metabolismo. Além disso, ele também é bom para aliviar o stress.

Deve ser praticado com o estômago vazio e durante as expirações. Também deve ser evitado se você esta no seu período menstrual, por gestantes ou pessoas que tem úlceras ou hérnia.

Mula bandha
Mula significa raíz e essa é a contração do assoalho pélvico. Esta relacionado ao Muladhara Chakra, o nosso ponto de energia de conexão com a terra. A maneira mais fácil de explicar como fazer esse bandha é: imagine que você esta em uma longa fila para ir ao banheiro e precisa se segurar. Essa contração dos esfíncteres do ânus e da uretra é mula bandha. Esse bandha estimula os nervos pélvicos, o sistema endócrino, o sistema genital e o sistema excretor. Também alivia depressão e prisão de ventre. Durante a prática, a ativação desse bandha vai te dar uma sensação de leveza, como se você estivesse flutuando de uma postura para outra.

Maha bandha
Essa é a combinação de todos os bandhas citados acima ao mesmo tempo. Deve ser praticado apenas quando você já tiver dominado todos os outros.

Eu sei que esse é um assunto um pouco mais complexo, mas os bandhas são um elemento muito importante na nossa prática de yoga e quando você conseguir entender direitinho como funciona cada um deles e aplicá-los durante a prática de asanas e pranayamas, vai começar a perceber os benefícios dos bandhas e isso vai levar a sua prática de yoga para um outro nível!

Eu postei um vídeo na nossa série de pranayamas onde eu ensino a fazer Kumbhaka Bandha Pranayama, e essa é uma boa opção para quem quiser começar a praticar os bandhas:

Ps. As ilustrações são de um site super fofo chamado Manava Yoga. Ele esta em francês, mas você consegue traduzir boa parte dele com o chrome e lá tem muita informação legal sobre esse assunto 🙂

Continue Reading

4 posturas de yoga para aliviar a dor no nervo ciático

Pra quem não sabe, quando eu comecei a praticar yoga um dos principais motivos que me levaram a buscar uma aula é porque eu sofria MUITO com dor no nervo ciático. Eu tinha crises terríveis que às vezes mal conseguia andar, isso quando eu tinha apenas 16 anos! Pra quem quiser saber a história completa de como eu comecei a praticar yoga, eu escrevi aqui no meu site.

Com a pratica regular de yoga as minhas dores praticamente sumiram e foi pensando nessas crises que eu resolvi gravar esse vídeo mostrando 4 posturas que você pode fazer em casa em um momento que estiver sentindo muita dor. Espero que ajude 🙂

assinatura2

Continue Reading

A primeira vez que eu pratiquei Aerial Yoga

Como instrutora de yoga eu estou sempre buscando novos estilos de aula, sempre procuro studios novos para ir conhecer e praticar com diferentes professores. Acho isso fundamental para meu próprio crescimento como instrutora, afinal sempre podemos aprender algo novo.

Eu já tinha ouvido falar sobre aerial yoga e quando vi as fotos, achei que isso poderia ser interessante. Eu até pesquisei alguns lugares aqui em Gold Coast mas nunca tinha ido à nenhuma aula de fato. Aí algumas semanas atrás uma moça nova começou a trabalhar na mesma loja que eu e acabei descobrindo que ela é dona de um studio de aerial yoga bem pertinho da minha casa. Ali estava a minha chance 🙂

Ontem eu fui conhecer a aula dela e até consegui convencer o David a ir comigo! Chegamos lá cheios de curiosidade e sem fazer a menor ideia de como seria essa nova experiência. A aula começou direto com os asanas, ou posturas, que são as mesmas de uma aula normal de yoga. Começamos com as posturas em pé, que para mim foram as mais difíceis porque eu não estava muito confortável com o tecido me apoiando na cintura. Acho que é questão de costume ou então talvez o tecido não estivesse na altura certa pra mim. Mas a Marisa, a professora, foi um amor e me ajudou em todas as posturas.

Então fomos para a primeira invertida e aí veio o primeiro desafio de verdade: confiar em mim mesma. Você tem que simplesmente entrelaçar as suas pernas no tecido como se fosse um macaco e deixar o seu corpo ficar pendurado de cabeça para baixo, confiando apenas no tecido que esta te segurando. Fizemos 3 invertidas na aula e na primeira senti muito medo, na segunda já sabia mais ou menos como entrar na postura e na terceira fiz sozinha bem rapidinho hahah YAY! 😀

Depois fomos para as posturas sentadas e essas foram as minhas preferidas, porque nessas a gente fica dentro do tecido e a sensação é muito boa! A maior dificuldade na verdade foi conseguir ver a professora, porque você fica literalmente embaladinho no tecido, como se fosse o recheio de um pastelzinho hahahaha

O que eu achei legal desse tipo de aula é que o tecido da um apoio bacana para várias posturas e te permite ficar mais confortável em asanas como trikonasana ou shiva nataraja. Ajuda bastante no alongamento e em algumas posturas trabalha bastante com força nos braços e nas pernas. O que eu achei mais difícil foi realmente fechar os olhos durante a postura e realmente sentir a energia fluindo, sentir a conexão comigo mesma. Isso porque era uma coisa totalmente nova pra mim e eu estava um pouco preocupada em como segurar o tecido do jeito certo ou aprender como incorporar o tecido nas posturas. Como tudo na vida, nada que algum tempo de prática não resolva.

A melhor parte foi o yoganidra, o relaxamento final. Deitamos dentro do nosso balancinho e eu me senti um bebê no sling, segura e confortável <3

Resumindo: eu amei a experiência, eu adoro tentar coisas novas e o aerial yoga com certeza foi uma experiência positiva. A Marisa foi muito legal com todos nós e fez todos sentirem-se bem vindos. Para quem quiser conhecer eu super indico o studio, que fica em Mermaid Waters e se chama Yoga Shed.

assinatura3

Continue Reading

3 motivos porque yoga é o melhor exercício para a sua viagem

Quando você está viajando muitas vezes é difícil manter a sua prática de exercícios diários. Seja porque não há nenhuma academia por perto, ou porque você não tem o equipamento necessário, ou simplesmente porque você não quer se exercitar enquanto está de férias. Bem, você sabia que o yoga é a opção perfeita para fazer enquanto você estiver viajando? Seja você um iniciante ou um aluno mais avançado, aqui está o porquê …

1. Não é um exercício

É uma maneira de experimentar o mundo, e que é exatamente o que viajar significa. Não há nenhum outro exercício que abre o seu corpo e mente para que você possa realmente sentir a viagem com o seu coração e alma. Você pode atrair pessoas em torno de você a qualquer momento apenas parando em um local aberto e começando uma Saudação ao Sol. As pessoas se unem enquanto estão viajando, desde as mais experientes até os iniciantes. Sem constrangimento, apenas desenrole o seu tapetinho e comece a praticar. Você pode conhecer pessoas que você nunca teria tido a oportunidade de conversar antes apenas fazendo algumas posturas.

2. Você não precisa de equipamento

É isso mesmo, você não precisa nem de um tapete de yoga. Os yoga mats são ótimos, mas eles não tinham sido inventados até a última metade deste século e o yoga existe à milhares de anos! Você pode praticar na grama, em saguões de aeroportos e hotéis, em um deck na beira na praia, na própria areia, em um terraço…Tudo o que você precisa é vontade.

3. Leve o yoga para qualquer lugar com você

Depois de perceber que o yoga está dentro de você, você saberá que não precisa de um estúdio, um professor, outras pessoas, um tapete de yoga ou qualquer coisa – então você sabe que você está realmente vivendo sua prática de yoga. Onde quer que esteja, acompanhado ou não, você tem a sua prática de yoga. Tudo é yoga: sentar em uma pedra e contemplar um rio, encontrar um novo amigo e perceber como o mundo é pequeno, escrever em seu diário, apenas ser e viver o momento presente. Isso é yoga.

Você já praticou yoga durante uma viagem? Use os comentários abaixo para contar pra mim como foi 🙂

assinatura2

 

Continue Reading

4 dicas e 2 mitos sobre o Cachorro olhando para baixo

O Adho Mukha Svanasana, ou cachorro olhando para baixo, é um asana que eu gosto bastante e os benefícios dele são vários. É considerado uma postura de descanso em uma sequência mais dinâmica (como por exemplo surya namaskar) e segundo o Ayurveda ajuda a equilibrar os 5 elementos e os 7 chakras. Mas antes de falar sobre como fazer a postura, vamos entender melhor algumas coisas sobre esse asana tão famoso:

Significado do nome em sânscrito:

Adho: para baixo
Mukha: rosto
Svana: cachorro

Alguns benefícios:

  1. Tranquiliza o sistema nervoso
  2. Pode aliviar dor de cabeça em alguns casos
  3. Ameniza tensões no pescoço
  4. Combate insônia
  5. Combate a depressão
  6. Traz disposição
  7. Rejuvenesce
  8. Fortalece pernas e braços
  9. Alonga a coluna
  10. Alivia sintomas de menopausa
  11. Ajuda a prevenir osteoporose
  12. Melhora a digestão
  13. Terapêutico para dor no nervo ciático

Certo ou Errado?

Existem alguns detalhes para se prestar atenção na hora de fazer o cachorro olhando para baixo:

cachorro-olhando-para-baixo-adho-mukha-svanasana-certo

cachorro-olhando-para-baixo-adho-mukha-svanasana-errado

Dicas:

  1. Na hora da postura, eu gosto de pensar na seguinte analogia: ao elevar os seus quadris, imagine que você é um marionete e existe um fiozinho puxando os seus quadris para cima, ao mesmo tempo em que suas mãos empurram o chão.
  2. Relaxe o seu pescoço. Agora que você já sabe como fazer a postura, não precisa ficar olhando para frente para ver o professor. Relaxe e aproveite o momento! Quando for hora de passar para a próxima postura, seu professor vai dizer 🙂
  3. Não sabe que distância manter entre suas mãos e seus pés? Alinhe as mãos com os ombros e os pés com os quadris.
  4. Essa é minha dica preferida e é importantíssima para quem sente dor nos punhos. Use a ilustração abaixo para entender onde ficam os pontos de apoio nas suas mãos. Essa dica vale para todas as posturas que precisam do apoio das mãos.

Processed with VSCOcam with f2 preset

Mitos:

  1. “Você precisa manter suas pernas estendidas”: MITO! Se for mais confortável para você, não pense duas vezes antes de flexionar levemente os seus joelhos para aliviar a tensão na lombar. Não há problema nenhum em adaptar a postura para o seu corpo, cada pessoa é diferente e o importante é sentir-se bem durante a prática.
  2. “Seus calcanhares precisam tocar o chão”: MITO! Eu sei que alguns professores gostam de puxar as pernas dos alunos para forçá-los a tocar o chão (já aconteceu comigo!), mas eu não concordo e não faço isso nas minhas aulas. Você precisa respeitar os limites do seu corpo e um dia naturalmente seus calcanhares vão chegar no chão, sem dor e sem sofrimento 🙂

cachorro-olhando-para-baixo-adho-mukha-svanasana-variacao

assinatura2

Continue Reading