100 ideias simples para aumentar a sua felicidade

No curso que eu fiz sobre a Ciência da Felicidade, em cada módulo tínhamos uma atividade extra para fazer relacionado ao tema da semana. Em um dos módulos falava sobre como atos de gentileza, bondade e altruísmo podem consideravelmente aumentar o nível de felicidade, muito mais do que fazendo coisas por você mesmo.

Em uma pesquisa foi dado $100 dólares para 2 grupos de pessoas. O primeiro grupo foi orientado a gastar esse dinheiro consigo mesmo, para pagar uma conta ou para comprar um presente para si mesmo. O segundo grupo foi orientado a doar esse dinheiro para alguma instituição ou comprar um presente para outra pessoa. Após a pesquisa, eles notaram que o nível de felicidade do segundo grupo aumentou muito mais do que o do primeiro grupo.

Pois bem, a atividade extra desse módulo era escolher 1 dia que você tenha livre para fazer 5 atos de gentileza. Pode ser qualquer coisa, desde as mais simples até as mais complexas e bem elaboradas. E perceba como você esta se sentindo no final do dia. Eu te desafio a fazer esse exercício e para ajudar, aqui estão 100 ideias de atos de gentileza que foram postados no Buzzfeed e que eu traduzi para inspirá-los 🙂

  1. Mande uma mensagem no Facebook ou Twitter elogiando genuinamente 3 pessoas agora mesmo.
  2. Leve donnuts (ou alguma outra coisa gostosa) para dividir com seus colegas de trabalho.
  3. Elogie um pai/mãe sobre o quanto seu filho é bem comportado.
  4. Não escreva o comentário raivoso na internet que você estava pensando em escrever.
  5. Em uma rodinha onde todo mundo esta fofocando sobre alguém, seja aquele que faz um elogio sobre a pessoa.
  6. Prepare uma comida ou lave a roupa de um amigo que acabou de ter um bebê ou esta passando por um momento difícil.
  7. Se você passar por um carro na rua que esta com o medidor expirado, pague por mais um tempo para essa pessoa. (Esses medidores não existem no Brasil, mas você pode pagar o Estar de alguém por exemplo)
  8. Desligue o seu celular
  9. Chame aquela pessoa que acabou de chegar na cidade para sair com você.
  10. Ofereça a um mendigo a comida que sobrou do seu jantar em um restaurante.
  11. Toda vez que você tiver uma peça nova de roupa, doe uma velha.
  12. Não interrompa quando outra pessoa esta falando (Surpreendemente poucas pessoas fazem isso).
  13. Mande um e-mail ou uma carta para um antigo professor que mudou a sua vida.
  14. Elogie uma pessoa para o chefe dela.
  15. Deixe para um bom funcionário a maior gorjeta que você puder dar.
  16. Sorria para alguém na rua.
  17. Dê a vez para alguém na sua pista. Provavelmente ele esta tão apressado quanto você.
  18. Perdoe alguém e nunca mais traga esse assunto de volta
  19. Converse com a pessoa tímida que esta sentada sozinha na festa.
  20. Deixe o jornal que você estava lendo no café, no aeroporto ou no ponto de ônibus para que outra pessoa possa ler.
  21. Não seja tão rigoroso com alguém.
  22. Ajude alguma mãe com seu carrinho de bebê.
  23. Seja voluntário no Big Brothers Big Sisters (Infelizmente não existe no Brasil, mas se você estiver morando em algum dos países da lista você pode participar. Se alguém conhecer algum programa parecido no Brasil, por favor me avise e eu colocarei aqui 🙂 )
  24. Deixe a pessoa com 2 ou 3 ítens atrás de você na fila do supermercado passar na sua frente.
  25. Mande uma carta para alguém. Uma carta de verdade, feita de papel!
  26. Doe alguma coisa no Craigslist .
  27. Faça uma playlist legal no Spotify para aquele seu amigo que acabou de terminar com a namorada.
  28. Dê para alguém um livro que você acha que a pessoa iria gostar.
  29. Seja a pessoa que coloca uma moeda no potinho de gorjetas do bar/café/restaurante.
  30. Leve para o trabalho materiais de escritório divertidos para melhorar o dia de todo mundo.
  31. Quando ver alguém carregando alguma coisa, ofereça ajuda.
  32. dê um abraço em alguém.
  33. Se você derrubar açúcar na sua mesa no café, limpe.
  34. Ligue para os seus avós. Ligue agora mesmo!
  35. Doe os seus óculos antigos para alguém que precise.
  36. Quando for por o seu lixo na lixeira, pegue qualquer lixo que você encontrar por perto na rua e jogue no lixo também.
  37. Escreva algo legal para aquela pessoa que esta constantemente mandando posts no facebook. Ela talvez seja solitária.
  38. Elogie sinceramente o seu chefe. Ele provavelmente não recebe muitos elogios pelos seus esforços.
  39. Coloque post-its com frases positivas no espelho do banheiro público.
  40. Deixe alguém ficar com a vaga na garagem.
  41. Se você ouvir um elogio por acaso, passe esse elogio para frente.
  42. Seja voluntário para ler para crianças.
  43. Leve café na cama para seu namorado/namorada/marido/esposa amanhã.
  44. Tenha certeza de que todas as pessoas na rodinha sintam-se inclusas na conversa.
  45. Pare para conversar com um mendigo.
  46. Responda aquele e-mail que você esta evitando.
  47. Mande flores anonimamente para a recepcionista do seu trabalho.
  48. Pague o pedágio para a pessoa atrás de você.
  49. Doe ou recicle os eletrônicos que você não usa mais.
  50. Escreva um comentário legal no blog do seu amigo.
  51. Vá jogar jogos de tabuleiro com um velhinho no asilo. 60% deles não recebem nenhuma visita.
  52. Ofereça um lencinho para alguém que esta chorando em um lugar público e pergunte se ela quer conversar sobre isso.
  53. Ouça atentamente.
  54. Faça babysitter para uma mãe solteira de graça.
  55. Adote um animal resgatado.
  56. Elogie alguém na frente de outras pessoas.
  57. Segure o elevador.
  58. Mande uma mensagem para aquele pessoa que você quer conversar, mas tem medo de incomodar. Ela provavelmente esta pensando a mesma coisa com outras pessoas!
  59. Lembre-se de que todas as pessoas estão lutando contra suas próprias dificuldades.
  60. Deixe algumas moedas extra na lavanderia paga
  61. Escreva para o seu namorado/namorada uma lista das coisas que você adora nele/nela.
  62. Monte uma pequena horta para alguém.
  63. Tenha empatia.
  64. Diga “obrigado” para um zelador ou faxineiro.
  65. Converse com alguém no trabalho que você nunca conversou antes.
  66. Emoldure a citação preferida do seu amigo e de para ele de presente.
  67. Peça uma sobremesa para outra mesa.
  68. Mande uma mensagem para alguém só para dizer bom dia ou boa noite.
  69. Ajude o seu vizinho idoso a por o lixo para fora ou cortar a grama.
  70. De o seu lugar no ônibus para outra pessoa (qualquer pessoa!).
  71. Diga aos seus irmãos o quanto você gosta deles.
  72. Leve uma xícara de café quente para o segurança.
  73. Plante uma árvore.
  74. Compre comida de gato ou cachorro e coloque na porta de um abrigo de animais.
  75. Se você é um bom fotógrafo, tire fotos de seus amigos e dê para eles de presente um álbum digital.
  76. Sorria quando você tiver vontade de sorrir.
  77. Lave o carro de alguém.
  78. Cuide do cachorro ou gato de alguém de graça.
  79. Leve um guarda-chuva extra para o trabalho e empreste para alguém em um dia de chuva.
  80. Faça dois almoços e doe um deles.
  81. Reduza a poluição dando caronas.
  82. Diga sim quando a pessoa do caixa perguntar se você quer doar $1,00 para qualquer causa.
  83. Seja encorajador!
  84. Ajude alguém com as sacolas do mercado.
  85. Doe o seu troco para alguma instituição de caridade.
  86. Dê ao seu amigo um abraço, um tapinha nas costas ou toque o seu braço. A humanidade esta precisando de mais toque humano.
  87. Compre limonada ou biscoitos (ou seja lá o que for) de crianças.
  88. Dê um voto de confiança para o seu namorado/namorada.
  89. Seja legal com o pessoal do telemarketing. Não é culpa deles.
  90. Lave a louça mesmo que não seja a sua vez.
  91. Compre um presente especial para alguém especial.
  92. Dê o resto do seu pacote de chiclets para alguém.
  93. Seja paciente.
  94. Limpe o pára-brisas de alguém.
  95. Todas as noites antes de ir para a cama, pense em 3 coisas do seu dia pelo o que você é grato.
  96. Faça planos com aquela pessoa que você esta adiando um encontro.
  97. Ligue para sua mãe.
  98. Ofereça para levar o carrinho de compras de volta de alguém que esta guardando as sacolas no carro.
  99. Faça uma limpeza na praia ou no parque.
  100. Quando você ouvir uma voz negativa dentro da sua cabeça, lembre-se de ser gentil consigo mesmo. Você também merece!

assinatura2

 

Continue Reading

Como fazer um bolo pode te deixar mais feliz

bolo de chocolate em um prato azul

Eu sou uma pessoa que AMA fazer bolos! Qualquer motivo é uma desculpa para ligar o forno. Pode ser porque é aniversário de alguém, ou porque vem visita em casa, ou simplesmente porque esta um lindo dia para comer bolo (e quando não é né? <3). Nós inclusive até fizemos um bolo durante a nossa viagem e provamos que é possível assar um bolo na van! Alguns especialistas afirmam que fazer bolo é muito mais do que querer preparar algo doce. Especialmente quando é feito para outras pessoas, pode trazer muitos benefícios psicológicos.

Fazer bolos é uma forma de expressão e comunicação

Segundo a professora de Ciências Psicológicas e Cerebrais da Universidade de Boston, Donna Pincus, o ato de fazer um bolo permite que você possa se expressar de forma mais criativa. Quando você faz um bolo para outras pessoas você esta achando uma forma de demonstrar seus sentimentos. Seja porque quer agradecer por um favor que ela te fez, ou para dizer o quanto você esta feliz por ela ter te convidado para um jantar, ou até para demonstrar que você sente muito por ela ter perdido alguém querido. Ás vezes são situações que palavras não são o suficiente para dizer o que você sente, e o ato de fazer um bolo para essa pessoa traduz esse sentimento. Em muitas culturas, em diferentes países, comida é uma expressão de amor.

Fazer bolos é uma forma de meditação

Eu nem preciso falar dos benefícios da meditação né? Alivío de stress e aumento de felicidade são só alguns deles. Mas se você acha que a única forma de meditar é sentar na postura de lótus, fechar os olhos e ficar imóvel por longas horas, você esta enganado. Uma das formas de meditação mais bacanas se chama mindfulness, que traduzindo significa ter a sua atenção plena em alguma coisa. Pode ser na sua respiração, nos seus batimentos cardíacos, ou até mesmo andando, correndo, cozinhando e… fazendo bolos!

Fazer um bolo requer totalmente a sua atenção. Você precisa medir cuidadosamente os ingredientes, preparar todas as etapas como ligar o forno, untar a forma, misturar os ingredientes… Se você trouxer sua atenção total para todos esses detalhes, para os cheiros, para a textura da massa, você esta criando um estado de atenção plena no momento presente e isso pode sim resultar em diminuição de stress (se você viu o vídeo de quando fizemos o bolo na van, sabe bem do que eu estou falando! Note o meu humor antes e depois de fazer o bolo hahaha)

A Professora Pincus ainda diz que quando você esta imerso no ato de fazer um bolo, você tem a sua total atenção na receita e isso faz com que você se livre daqueles pensamentos e preocupações que você anda ruminando. O cultivo desses pensamentos negativos podem levar a quadros de tristeza e depressão, por isso focar em algo produtivo pode te ajudar a livrar-se desse problema.

Fazer um bolo para alguém é um ato de altruísmo

Enquanto que a preparação do bolo pode trazer benefícios próprios para você, o ato de ainda estar fazendo isso para outra pessoa aumenta o seu nível de bem estar e felicidade. Donna Pincus diz que quando você esta fazendo um bolo para outra pessoa você tem um sentimento de estar fazendo algo de bom para o mundo, o que pode até aumentar o seu senso de ter um sentido na vida e de conexão com outras pessoas. Não é lindo? <3

Muitos estudos sobre felicidade relacionam a felicidade com o ato de se doar, fazer algo totalmente altruísta para outra pessoa e quando você faz um bolo para alguém você esta doando seu tempo e sua dedicação.

Porém, se fazer bolos é uma atividade que te estressa, você pode não receber os mesmos benefícios. Algumas pessoas tem fobia de entrar na cozinha e preparar algo e essa é uma situação que pode aumentar o seu nível de stress. Se esse é o seu caso, a terapia do bolo não é pra você. A própria professora Pincus diz que “contanto que não seja uma atividade estressante ou obrigatória, isso pode ser benéfico para todos”.

É claro que aqui estou falando sobre bolos, que é uma coisa com a qual eu me identifico e amo fazer, mas esses benefícios tem o mesmo valor em outras áreas da cozinha, como por exemplo preparar um jantar para os amigos.

Receita de bolo de prestígio

E já que estamos falando nisso, quero dividir com vocês uma receita de bolo de prestígio que eu fiz no fim de semana e ficou maravilhoso! Que tal aproveitar essa oportunidade para fazer um bolo para aquela pessoa que você ama? 🙂

Para a massa eu usei a mesma receita de nega maluca, então se você não gosta de prestígio é só substituir o recheio por calda de chocolate ou brigadeiro mole! 

Ingredientes:
– 03 xícaras de farinha de trigo (aqui na Austrália eu prefiro usar a self raising porque eu não me dou bem com o fermento daqui, mas fica a seu critério)
– 02 xícaras de açúcar
– 01 xícara de chocolate em pó
– 01 colher de sopa de fermento (esse eu não coloquei porque usei a farinha self raising)
– 01 colher de chá de bicarbonato de sódio
– 01 colher de chá de sal
– 01 xícara de óleo
– 02 ovos
– 02 xícaras de água quente

Modo de fazer:
– Misture todos os ingredientes secos. Depois acrescente todos os molhados. Leve a uma forma untada no forno 180° por 35 minutos.
– Dica: unte a forma com chocolate em pó ao invés de farinha. Assim o bolo fica mais bonito quando você desenformar, sem ter aquelas marcas brancas da farinha 🙂

Cobertura e recheio:
Para fazer a cobertura e o recheio eu fiz uma receita de beijinho simples, com uma lata de leite condensado, 2 colheres de sopa de manteiga e côco ralado à gosto (eu coloquei um moooooonte!). Levei tudo ao fogo e deixei por alguns poucos minutos, pois a intenção é que o beijinho fique bem mole, como se fosse comer de colher!

Eu concordo que esse bolo não é o mais saudável do mundo, mas eu acredito que ser saudável esta também relacionado a ser feliz. A vida é um equilíbrio em todos os sentidos e passar vontade também não faz bem, por isso de vez em quando eu gosto de me dar ao luxo de fazer um bolo desses, bem delicioso e que enche o meu coração de alegria!

Se você também ama fazer bolos ou gosta de cozinhar para outras pessoas, deixa aqui nos comentários! 🙂

Esse post foi traduzido e adaptado desse artigo

 

 

Continue Reading

Viajantes são pessoas confiáveis?

A uma semana atrás nós estávamos em Byron Bay e conhecemos uma menininha de 10 anos e seu pai que estavam tocando músicas no parque em troca de algumas moedas. Ruby é uma pequena artista escocesa super talentosa, que apesar da pouca idade já sabe tocar violão, ukulele, gaita e gaita de fole! O pai dela, Brian, estava nos contando que um dia eles estavam passeando na mata e ela encontrou uns  pedaços de bamboo e começou a montar sozinha uma daquelas flautas peruanas! Os dois estão viajando pelo mundo em um ano sabático e fazendo pequenas apresentações em parques por onde passam. Brian quer que a Ruby tenha experiências diferentes e vivencie o mundo com os próprios olhos antes que ela fique mais velha e tenha que se comprometer mais seriamente com os estudos. Uma história linda e inspiradora.

Depois de Byron eles iriam para Gold Coast. Como eu conheço algumas pessoas por lá, quis perguntar na comunidade se alguém teria um cantinho em casa pra receber eles. Só estando na estrada pra saber como é bom ter um lugar quente pra dormir, com um chuveiro de verdade. A Ruby estava com dor de garganta naqueles dias e como eles dormem em barraca, eu fiquei preocupada em ela pegar friagem e quis ajudá-los. Fiz um post no grupo de Brasileiros em Gold Coast no Facebook contando a história deles e perguntando se alguém poderia recebê-los. Mas o que veio a seguir me deixou um pouco chateada. Muitas pessoas começaram a dar like no meu post e comentar “que legal!”, mas ninguém ainda tinha oferecido ajuda. Até que uma menina comentou perguntando se eu achava que eles eram de confiança. Aquela pergunta partiu meu coração.

Eu sei que no Brasil nós temos um pé atrás com tudo e que não da pra sair abrindo as portas da sua casa pra qualquer um que apareça. Mas esse pai esta levando sua filha para o mundo para aprender alguma coisa, para ensinar algumas lições de vida, para fazê-la experienciar coisas incríveis que só quem viaja entende e conhecer pessoas boas. Como alguém pode achar que há alguma má intenção nisso? Nesses 2 anos morando fora, se tem uma lição que a Austrália me ensinou foi: primeiro confiar. Se alguma coisa acontecer, você desconfia. No Brasil infelizmente é ao contrário, nós desconfiamos e duvidamos de tudo, até que a pessoa ganhe a nossa confiança.

Mas também não quero dizer que isso é coisa só de mentalidade brasileira e que na Austrália não existe esse preconceito. Na época que dividíamos casa com uma australiana, um dia ela veio falar que queria alugar o quarto de visitas para fazer uma grana extra. Nós sugerimos que ela colocasse no Airbnb porque isso seria uma experiência bacana pra todo mundo, estaríamos conhecendo viajantes do mundo todo e vivenciando essa troca de conhecimento. Mas essa não era a opinião dela. Ela não queria abrir a casa pra viajantes porque aquela casa era “tudo” o que ela tinha e ela tinha medo que as pessoas fossem roubar as coisas dela. Não que ela tivesse muitas coisas, era mais como se alguém fosse sair pela porta da frente carregando o sofá dela nas costas.

Sobre o meu post no facebook, eu tive 169 likes e 4 pessoas que comentaram oferecendo um quarto pra eles ficarem. Dessas 4 pessoas, apenas 1 menino de fato respondeu a minha mensagem, que foi onde eles ficaram. Esse cara abriu a casa dele para essas pessoas que ele nunca viu na vida, sem questionar e sem querer nada em troca. Esse cara acreditou que essas pessoas eram boas, que o ser humano é bom. E tenho certeza que pra ele, conhecer a Ruby e o Brian foi uma experiência incrível também, assim como foi pra gente.

Nós já recebemos viajantes em casa que nós nem conhecíamos e isso nos permitiu fazer parte de uma das histórias de viagem mais inspiradoras que conhecemos! Com aquela experiência nós tivemos uma troca cultural enriquecedora e ainda ganhamos amizades que vamos levar com a gente para o resto da vida. E é essa a mensagem que eu quero passar com essa história. Acredite que as pessoas são boas. Esteja aberto a conhecer pessoas novas, esteja aberto a ter novas experiências. Confie. Ajude sem esperar por algo em troca. Essa energia de troca é muito enriquecedora e você vai se surpreender com as coisas lindas que o universo vai te trazer de volta.

Para quem quiser acompanhar a viagem da Ruby, esse é o blog.

 

Continue Reading

10 viajantes inspiradores para seguir no Instagram hoje!

Eu estou sempre buscando histórias inspiradoras de viajantes ou pessoas que fizeram uma grande mudança na vida. Alguns registram suas aventuras apenas no facebook ou blog, algumas tem só o canal do youtube ou escreveram um livro, mas quando essas pessoas tem um Instagram cheio de fotos bonitas, aí sim eu viro mais fã ainda <3

Aqui eu fiz uma seleção dos meus preferidos (por ordem alfabética):

@colerise
coracao-viajante-instagram-colerise

@idletheorybus

coracao-viajante-instagram-idletheorybus2

@laurenepbath

coracao-viajante-instagram-laurenbath

@lebackpacker

coracao-viajante-instagram-lebackpacker

@ouropenroad

coracao-viajante-instagram-our-open-road

@projectvanlife

coracao-viajante-instagram-projectvanlife

@therollinghome

coracao-viajante-instagram-therollinghome

@tiffpenguin

coracao-viajante-instagram-tiffpenguin

@togetherweroam

coracao-viajante-instagram-togetherweroam

@vanlifemovement

coracao-viajante-instagram-vanlifemovement

E aí, o que vocês acharam? Conhecem algum outro Instagram legal para nos indicar? Deixa a dica aí nos comentários 🙂
E aproveita e segue o nosso Instagram também 🙂

Continue Reading

Como um guarda-roupa de cápsula pode te fazer mais feliz

Antes de mais nada, quero dizer que esse não é um post sobre moda. Quero contar para vocês a minha experiência criando um guarda-roupa de cápsula e como isso pode interferir no seu bem estar. O post vai ser um pouquinho longo, mas eu prometo que vai valer a pena e ainda vai te inspirar a fazer uma mudança também!

Mas antes de mais nada, vamos nos situar: o que é um guarda-roupa de cápsula?
Esse conceito foi criado na década de 70 (não, isso não é uma coisa nova) pela estilista Susie Faux, mas se tornou bastante popular no ano passado quando a blogueira americana Caroline do Un-Fancy escreveu um post explicando como criar esse tipo de guarda-roupa.

guarda-roupa-de-capsula2-karen-pok

Basicamente, um guarda-roupa de cápsula é um guarda-roupa com poucas peças, mas que são de qualidade, combinam entre si e você AMA usar. Quantas vezes você comprou roupas novas que ficaram paradas no seu guarda-roupa porque sempre que você vai sair escolhe usar suas roupas preferidas? Ou quantas vezes você gastou dinheiro em roupas mais baratas, mas que não duraram 5 lavagens? Ou aquela blusinha linda que você ama, mas não combina com nenhuma outra peça que você tem?

Se você perde horas escolhendo o que vestir, tendo a impressão de que não tem nada para usar mesmo com um guarda-roupa lotado, você sabe do que eu estou falando.

Ta, mas o que isso tem a ver com o meu bem estar?

Energia

Apenas para começar, segundo o feng shui não faz bem manter objetos estagnados com você. Acumular coisas que não estão sendo usadas faz com que a energia não flua. Isso vale para qualquer coisa, mas como estamos falando de guarda-roupa, liberte-se das suas roupas que não são tão usadas e que poderiam estar sendo úteis para outras pessoas. Movimente a energia.

Tempo

Já parou para pensar em quanto tempo você passa escolhendo o que vestir e em quanto tempo você perde comprando roupas que não precisa? A princípio pode até parecer que não é muito, mas tempo é a coisa mais preciosa que temos na vida e você poderia estar economizando o seu e gastando com o que realmente importa: estar com quem você ama ou planejando a viagem dos seus sonhos.

Cromoterapia

Se você já ouviu falar em cromoterapia, sabe que as cores afetam as nossas emoções e a maneira como vemos o mundo. Isso é válido desde a cor da parede do seu quarto até, adivinhe só, a cor das roupas que você usa. Usar uma roupa amarela em um dia chuvoso por exemplo pode fazer você sentir-se sutilmente mais aberto e feliz. E tem mais: você já parou para pensar se as roupas que você usa descrevem quem você é?

Uma coisa que notei quando comecei a refazer o meu guarda-roupa foi que eu tenho muitas roupas de cores neutras, principalmente pretas. Algumas delas são as minhas peças preferidas por serem de qualidade e vestirem super bem, mas a verdade é que eu sou uma pessoa que gosta de cores em tudo e percebi que essas roupas não passavam a minha personalidade alegre e otimista.

Felicidade nas pequenas coisas

Vou contar uma história pra vocês. Há alguns meses atrás eu estava precisando de uma calça nova pra yoga. Eu estava meio sem grana e fui em uma loja que vendia umas roupas bem baratinhas e comprei a tal da calça (de cor neutra por sinal). No primeiro dia que usei a calça comecei a notar que ela já estava fazendo bolinhas. NO PRIMEIRO DIA! A minha decepção foi enorme por ter gasto dinheiro em uma peça com qualidade zero. Mas como ela era nova, eu insisti. Tirei as bolinhas com uma gillete, mas a pobre coitada não durou uma lavagem. Lá estava ela cheia de bolinhas de novo e dessa vez com um furinho. Eu fiquei muito triste e toda vez que eu via a calça no meu armário, ficava triste de novo, reclamava e perdia um bocado de energia. E ainda me recusava a jogar fora porque era nova. Até o dia que resolvi me livrar dela e desde então nunca mais tive que encará-la e ficar triste de novo 😀

Um tempo depois eu achei a legging perfeita, linda e com um tecido gostoso, confortável, poderia usar ela todos os dias se pudesse de tanto que gosto dela. Essa é uma peça que me faz feliz. E é disso que estamos falando aqui, usar roupas que te fazem feliz. É essa felicidade nas pequenas coisas que vai aumentar o seu bem estar todos os dias.

frase-caroline-unfancy

Se você chegou até aqui e curtiu o conceito do guarda-roupa de cápsula, vou te mostrar o passo-a-passo de como fazer o seu. Mas antes disso, quero que você pense nessas duas dicas abaixo que vão te ajudar a ter uma ideia mais clara do que você esta buscando:

  1. Pense no seu estilo de vida e nas atividades do seu dia-a-dia
    No meu caso eu coloquei as atividades yoga e bike. Eu estou sempre dando aula ou praticando em casa e quando tenho que ir para algum lugar geralmente vou andando ou de bike. Portanto, eu preciso de roupas leves e confortáveis. Calça jeans por exemplo é uma peça que eu raramente uso.
  2. Crie um esquema de cores
    Pensar se você gosta de cores mais neutras ou mais vibrantes é um bom começo. Como eu, que percebi que tenho roupas lindas em tons neutros, mas gostaria de usar cores mais alegres. Esse pode ser um bom ponto de partida. Então pense se as cores combinam entre si, assim você terá mais looks com menos peças.

guarda-roupa-de-capsula3-karen-pok

As 4 etapas do guarda-roupa de cápsula

  1. O Un-Fancy aconselha que você reduza o seu guarda-roupa a 37 peças. Esse número pode variar um pouco de pessoa pra pessoa, mas não ultrapasse muito disso. Aqui estão inclusas: partes de cima, partes de baixo, vestidos, casacos e calçados. Não estão inclusos: acessórios, roupas de banho, bolsas, pijama, roupa íntima e aquela roupa que você usa pra limpar a casa.
  2. Use apenas essas roupas durante 3 meses (ou uma estação). Eu preferi separar em apenas duas: primavera/verão e outono/inverno.
  3. Não compre roupas novas durante todo esse período.
  4. Quando faltar uma ou duas semanas para acabar a estação, comece a planejar a próxima estação e veja quais peças vão ficar, quais vão para doação e quais peças novas você precisa comprar.

guarda-roupa-de-capsula1-karen-pok

Passo a passo para montar o seu guarda-roupa de cápsula

Primeiro passo:
Esvazie todo o seu guarda-roupa, literalmente. coloque tudo em cima da cama para ter uma visão mais clara do que você tem.

Segundo passo:
Separe as suas roupas em 4 pilhas:

  1. Roupas que você ama e poderia vestir agora mesmo! Essas peças voltam para o guarda-roupa
  2. Pilha do talvez: Aqui são roupas que você gosta, mas talvez não sirvam muito bem, ou você não gosta tanto da cor, ou você continua guardando porque pagou caro, ou tem valor sentimental, ou você tenta usar mas nunca combina com outras peças. Coloque essas roupas em uma caixa e guarde na garagem. Se durante a estação você sentir que precisa de alguma delas, você pode pegar de volta. Se no final da estação você não tiver aberto a caixa, é hora de vender ou doar.
  3. Pilha do não: autoexplicativo, roupas que você não gosta. Dê para uma amiga, doe, venda.
  4. Roupas de estação: shortinho no inverno ou casaco de lã no verão. Se são roupas que você realmente AMA, guarde elas em uma caixa para usar na próxima estação.

Terceiro passo:
É hora de contar quantas peças sobraram. Se você tiver menos de 37, planeje cuidadosamente o que esta faltando e o que você realmente precisa de acordo com suas atividades+esquema de cores e vá às compras. Se você tiver mais do que 37, separe mais algumas roupas para a caixa do “talvez”.

A minha experiência

Eu diminui mais da metade do meu guarda-roupa quando vim para a Austrália. Antes de saber que existia guarda-roupa de cápsula, apenas separei instintivamente o que trazer, o que guardar e o que vender e resumi tudo à apenas uma mala. Trouxe muitas roupas que raramente usei e senti falta de outras que deixei na casa dos meus pais. Hoje vejo que se tivesse feito esse exercício naquela época, teria sido bem mais fácil (então fica a dica pra você que ta indo morar fora).

Eu já consegui definir o meu guarda-roupa de cápsula, as peças que vão ficar e as que precisam sair (a maioria, infelizmente) e aos pouquinhos estou procurando as peças da minha lista que eu preciso. Percebi que tenho muitas roupas escuras e essas eu coloquei para venda/troca para abrir espaço para as roupas novas que estão por vir, as coloridas, alegres e estampadas. Estou curtindo bastante o processo porque é um exercício de autoconhecimento da minha personalidade e do que eu gosto/desgosto. Acho que é uma experiência legal e já posso dizer que estou me sentindo mais leve 🙂

Quem aí já tentou fazer guarda-roupa de cápsula? Você já parou para contar quantas roupas você tem? Quem aceita o desafio de chegar a 37? Me conta nos comentários 🙂

 

assinatura3

 

 

Continue Reading

Qual é a diferença entre gratidão e obrigado?

Outro dia eu estava lembrando de uma situação que aconteceu aqui em casa há mais ou menos 2 meses atrás. Eu e o David tínhamos acabado de nos mudar para a casa nova e na primeira noite aqui, a nossa flatmate preparou um jantar de boas vindas pra nós. Nós ficamos muito felizes com esse gesto e quisemos preparar um jantar para ela também, como forma de agradecimento.

Apesar de querermos de coração preparar esse jantar, enquanto não conseguimos arranjar um dia para fazer isso ficamos um pouco ansiosos e com um pouco de sentimento de dívida. “Ela fez um jantar para nós, nós precisamos fazer algo para ela também”.

E aí eu lembrei de uma matéria que eu vi uma vez falando sobre a diferença sobre dizer “gratidão” ao invés de “obrigado”. Muitas pessoas tem começado a falar “gratidão”, mas talvez nem todo mundo saiba o porquê de se falar assim.

Bem, as definições do dicionário de língua portuguesa dizem que:

Obrigado vem do verbo obrigar, que por sua vez vem do latim obligare e significa “ligar moralmente”. Portanto, expressa uma dívida entre quem recebe o favor e quem fez a gentileza. Quando estamos nessa posição de estar em dívida com a outra pessoa, criamos uma ligação com ela. Em outras palavras, quer dizer “a partir desse momento, eu sou o seu devedor”.

Isso foi mais ou menos o que sentimos com relação ao jantar que nos foi oferecido. Apesar de nos sentirmos genuinamente gratos, também sentimos que estávamos em uma posição de “dívida”, mesmo que isso nunca nos fosse cobrado.

Já a palavra gratidão vem do latim gratia e significa literalmente graça. Também pode ser traduzido como agradável e portanto significa “tenho um reconhecimento agradável pelo o que recebi”. Esse sentimento não envolve nenhuma obrigação ou amarração.

Por exemplo, eu tenho um sentimento infinito de gratidão toda vez que olho para o mar e percebo a benção que é ter a oportunidade de morar em um lugar tão bonito. Ou quando olho para o meu passado e tenho um sentimento infinito de gratidão por ter tido a infância perfeita, cheia de amor dos meus pais e meu irmão. O sentimento de gratidão vem do fundo do meu coração e é possível sentir isso quase fisicamente no meu peito. Como é possível retribuir uma graça de tanta magnitude?

Pensando sobre isso, me surgiram uma reflexão e um questionamento:
1. Muitas pessoas usam a palavra gratidão sem saber exatamente qual é o significado dessa palavra, que não pode simplesmente substituir a palavra “obrigado”.

2. Existem mesmo situações em que as duas palavras podem ser usadas? Algum momento em que mesmo que você se sinta realmente grato, ainda sim haja o sentimento de “obrigação” em retribuir o favor?

O que vocês acham? Conta pra mim nos comentários alguma situação que tenha acontecido com você também e qual foi o sentimento que você teve 🙂 

assinatura2

Continue Reading